quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Construindo Lembranças


Reformas e renovações são trabalhosas e, muitas vezes, caras. Particularmente, eu procuro fazer todo o trabalho sozinha - pintura, marcenaria, elétrica - e só conto com um profissional para aquelas tarefas que eu realmente não ajo vantajoso me aventurar, ou quando não domino a técnica adequadamente. Esse método pode ser bem mais demorado, mas o resultado é uma casa que nos trará satisfação por muitos anos, não apenas pela estética, mas pelas lembranças.


E essa também é a história da casa que apresento hoje, do casal Helen e Martin Ephgrave. Há quase 25 anos em seu imóvel eduardiano, eles estão mais que felizes por terem decidido comprar um imóvel de época que precisava de reparos (que continuam sendo feitos atualmente).


A casa que possuíam anteriormente foi vendida em 1986, porque era um imóvel novo com o qual eles não conseguiam se conectar: não se parecia com um lar. Além disso, precisavam de mais espaço, mas não queriam deixar a vizinhança.


Quando viram esta outra propriedade à venda, não desperdiçaram a chance de comprá-la. A mudança, porém, demorou cerca de dois meses, já que alguns reparos eram necessários para tornar o local habitável.


Apenas da casa toda precisar de renovação, assim que os reparos principais foram terminados a família instalou-se no local, e o restante do trabalho poderia ser feito gradualmente.


Ao longo do tempo o casal descobriu traços ocultos da casa que foram recuperados para trazer de volta as características originais da construção. Por exemplo, na retirada do reboco, que estava apodrecido, foram descobertas alcovas que haviam sido fechadas com alvenaria. Os tijolos foram retirados e o ambiente hoje parece ser muito maior, além de solucionar o problema de umidade. A lareira da década de 60 foi retirada e substituída por outra, bem mais apropriada ao estilo da casa. Na entrada, foi retirado o painel da escada e, por baixo dele, a balaustrada estava intacta.


O mobiliário que o casal já possuía ficou quase todo na casa anterior, pois era moderno e não se encaixava bem na nova decoração. Por causa da reforma constante, o orçamento para novos móveis era limitado. Muitas das peças compradas eram usadas e foram lixadas e repintadas. Os amigos e familiares do casal passaram a avisá-los antes de se desfazer de qualquer coisa, e em 90% das vezes os objetos eram interessantes (e os antigos donos tinham interesse em tê-los de volta depois de vê-los reformados).


Neste período de experiência, o casal oferece duas dicas que considera importantes: a primeira, de começar e finalizar um cômodo por vez; é muito mais fácil controlar o orçamento desta maneira; e a segunda, não se preocupar com os erros que cometer, pois é assim que irá aprender. Não tenha medo de seguir seus instintos, indiferente à moda e tendências.


Hoje o casal está mais que satisfeito com a casa. No verão eles dão uma pausa nas reformas e aproveitam o jardim: segundo a esposa, além de relaxante, isso ainda a deixa pronta para o próximo desafio na casa!


7 comentários:

  1. Que linda essa casa, Débora! Adoro casas cheias de detalhes, tecidos, coisas fofas, enfim! E essa máquina de costura... tenho uma antiga, vou ter que arrumar um local para apoiá-la, acho que vou ter que mandar fazer um balcão, um suporte, algo assim, pq ela não para em pé sozinha. Fica linda na decoração, né? Um bom findi para você!

    ResponderExcluir
  2. Patty, aproveite mesmo essa máquina de costura que vc tem! Vc não faz idéia do quanto gostaria de ter umas relíquias dessa em casa. Minha avó tinha uma linda da Singer, preta e dourada, me chamava atenção desde que eu era criança. Tinha o gabinete próprio e o pedal e roldana... um conjunto maravilhoso! Mas um dia ela teve uma emergência de saúde e não pôde mais morar sozinha. A casa acabou sendo vendida com tudo que tinha dentro. Imagine os outros tesouros que eu salvaria se tivesse chance! lá

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que pena Débora! A minha mãe doou uma Singer antiga, funcionando! Naquela época, não tínhamos manias de antiguidades!
    Quanto aos passarinhos,eu coloco rações variadas nos comedouros (já compro em sacos de 5kg), banana e mamão. Eles adoram! Sobras de comida, como arroz e pão, eles também adoram. E um recipiente com água (ou uma bromélia!) é bem-vindo.

    ResponderExcluir
  4. Debora querida...
    Amei esta casa...Através das fotos, sentei numa das poltronas, senti a brisa entrar, tive conversas amigas com pessoas queridas...Uma casa que vive!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo seu blog muito bem conseguido!

    Continuarei a visitar.

    Joliveira

    ResponderExcluir
  6. Débora, tem um selinho para você lá no meu blog. Não sei se você curte, mas está lá!

    ResponderExcluir
  7. Menina!! Estava justamente pensando em você!! Estava passeando por um blog e na hora pensei: tem a classe e a meiguice da Débora!!! Dê uma passadinha por lá e veja se não é de sonhar!!
    Obrigada pelo seu carinho e sua torcida!! Tenho uma grande afeição por você, mesmo a conhecendo há pouco tempo.
    Abs
    Márcia
    http://www.paintmewhite.com/

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails