domingo, 23 de outubro de 2011

Mãos À Obra


Sempre fico indecisa antes de fazer um post sobre jardins ou áreas externas. Tenho a impressão que não vai ser interessante para muitas pessoas que moram em apartamentos.

Mas que boa surpresa veio com o tema Jardim Inglês! Recebi muitos emails com comentários, dúvidas e dicas, e adorei cada um deles. Sendo assim, preciso dar o resumo da semana sobre o que consegui fazer por aqui (e, de quebra, mostrar mais algumas imagens sobre o tema).


Em primeiro lugar: não aguento mais plantar. Mesmo. A composição está ficando boa, mas o jardim inglês exige muitas coisas acontecendo em pouco espaço, e isso é cansativo de fazer (não de olhar).

Aliás, não comentei alguns detalhes importantes no post anterior: ao contrário do jardim francês, derivado do paisagismo dos grandes palácios, o jardim inglês clássico não foi inspirado nas residências da alta sociedade. Pelo contrário, essa informalidade toda se deve à falta de planejamento e à falta de espaço presentes nas classes mais baixas: as pessoas simplesmente plantavam as novas mudas onde fosse possível, e por isso havia essa mistura de plantas ornamentais, ervas (para fins culinários e medicinais) e até árvores frutíferas sem nenhuma distinção.


Aqui tem acontecido o seguinte: trago um pouco de mudas e sacos de terra para casa a cada três dias, mais ou menos. Não quis comprar grandes quantidades de plantas de uma só vez porque acho mais eficiente montar pequenos trechos do canteiro e decidir o que mais falta, em termos de cor e portes diferentes, examinando o resultado das plantas no lugar. Além disso, como a quantidade de mudas é bem grande, prefiro dividir o trabalho em etapas e garantir que eu trabalhe sempre com plantas em bom estado.


Também falei sobre o delfino ser venenoso e recebi um email importante: a Ana Hafner escreveu me alertando que as glicínias também têm veneno, e eu realmente falhei em não dar esta informação.

Sim, eu tenho uma glicínia no meu jardim, mas já explico o motivo dela ter sido aprovada. Os delfinos possuem todas as partes venenosas; as glicínias só possuem as vagens e sementes com veneno. Como ela está subindo no pergolado, as partes que oferecem perigo estão fora de alcance. Além disso a floração dela é curta, o que reduz o período de risco, e o veneno só causa danos se ingerido em grandes quantidades (não é o caso do delfino). Então, se você tem crianças ou animais em casa, considere essa informação.

Falando em pergolado, o piso do nosso ficou com tijolos maciços assentados em espinha de peixe (como na imagem abaixo). Meu pedreiro não me levou a sério, queria que eu colocasse cerâmica. Tentou me convencer até o último dia. Mas estou adorando: os tijolos também não dão trabalho, já que não precisam estar impecavelmente limpos para ficarem bonitos, e até o musgo do inverno curitibano fica charmoso aqui. Perfeito.


Outra atualização da semana: meus canteiros, que eram de linhas retas, estão sendo redesenhados. Estou fazendo todas as bordas em curva, da maneira mais orgânica possível. Comecei desenhando o traçado no chão, mas agora estou usando um método muito mais prático: estendi uma mangueira (mangueira comum, de jardim) e fui arrumando as curvas como eu queria: abertas, fechadas, mais longas, outras mais curtas. Serviu como um gabarito, muito fácil de trabalhar. Outra vantagem é que você já pode ver o traçado e corrigir o que não está bom antes de abrir os canteiros, sem surpresas.


O banco do jardim também foi encomendado e chega na semana que vem. Posso dar mais detalhes sobre a qualidade do material e do serviço depois que ele for entregue, mas quem quiser olhar o site da empresa pode clicar aqui. É o mesmo fornecedor da maioria das lojas de Santa Felicidade, só que o preço é menor que o de uma revenda, obviamente.


Para as pessoas que se interessaram pelo estilo e quiserem se divertir um pouco, o site da Better Homes and Gardens tem uma seção muito interessante, Garden Plans. Aqui você vê projetos detalhados de paisagismo para qualquer situação: sol pleno, sombra, pequenos espaços, pode escolher o estilo, se quer trabalhar com plantas perenes ou anuais... É muito bom, um guia muito completo.

E por aqui o trabalho continua! Um bom domingo para vocês!

4 comentários:

  1. E é tão lindo
    Imagino passar do dia num lugar assim, calmo e lindo. A dica da mangueira foi otima, simples e eficiente.
    Não terei muito espaço livre em casa mas quero fazer algo alegre e colorido no jardim.
    Minha casa fica no ilzarzinho, proximo do Parque Tingui, estamos vivendo um caos com a reforma da Fredolin Wolf, mas ficará bom.

    Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Querida,
    Não tenho jardim, pois moro em apartamento. Mas sempre é bom se deparar com imagens tão belas e aprender mais sobre essa prática tão saúdável. Vou ficar aqui sonhando com seu jardim...Beijos, ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. Ah, esqueci de dizer: na minha caminhada semana passada, passei por um passeio que me chamou atenção justamente porque era coberto com tijolos! Achei um encanto! Daí vc me fala do seu projeto no jardim e achei muito coincidencia (e fiquei com uma inveja, das boas, quando falou do inverno curitibano...rs). Entendi quando vc falou do seu pedreiro querendo convencê-la a não usar os tijolos... vivi isso com o marceneiro que fez os armário do meu ap, pq eu insistia que não queria nada com cara de moderno...rs

    ResponderExcluir
  4. Oi Débora! Eu fico de morrendo de curiosidade para ver como está ficando o seu jardim. O resultado vai vir a longo prazo. Em 2 ou 3 anos, seu jardim vai estar lindo. Quanto a plantas venenosas, eu tenho uma ideia bem radical a esse respeito: eu sempre convivi com plantas dentro e fora de casa e nunca tive alergia a elas. Aqui em casa ninguém nunca comeu plantas, talvez seja isso. Eu tb faço isso, vou comprando aos poucos, ou aos muitos... Na verdade, sempre acho que está faltando alguma coisa! Bjs.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails