segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

A Tranquilidade é Azul


O azul aparece na maior parte dos ambientes desta casa do East Hampton, em Nova York. E Meg Braff, a designer de interiores, se define mesmo como uma amante desta cor. A intenção do projeto era criar ambientes arejados, relaxantes e com clima de verão.



Durabilidade foi a palavra-chave para a decoração da sala de estar, já que o casal proprietário tem quatro filhos pequenos. Por isso o sofá azul marinho, o pufe revestido em couro e o tapete de sisal foram opções muito práticas. Este ambiente, aliás, era bem mais monocromático no início - até que a proprietária comprou o abajour verde cítrico. Meg Braff, então, colocou-o na sala e repetiu a cor no pufe e em uma pequena faixa na base das cúpulas: o suficiente para dar equilíbrio à composição.


O quadro na sala de estar, de Gustav Bolin, um artista sueco, foi pintada na década de 60 e traz grande parte das cores usadas na casa. Esta aquisição foi uma aposta de Meg Braff: apesar dos proprietários terem idealizado uma obra de arte mais tradicional, ela insistiu que eles a usassem durante um mês. Se ainda assim eles não estivessem satisfeitos, ela compraria a peça do casal.

Ela está na nesta sala até hoje.


Na sala de jantar, um grande espelho foi instalado para refletir a luz das portas-janelas. O espaço é muito neutro, quase monocromático. Curiosamente, as paredes são lisas e brancas: o detalhamento está justamente no piso e, mais especialmente, no teto, um plano que frequentemente é negligenciado na decoração.


Na suite principal, o branco foi usado com abundância para dar equilíbrio à intensidade da cor escolhida para a parede. Este verde, aliás, não se trata de tinta, mas de uma tela de fibras naturais como revestimento.



Meg Braff costuma usar vários tecidos e papéis de parede estampados em um mesmo ambiente. Para um resultado agradável, basta usar escalas diferentes: é possível usar cúpulas com estampas pequenas ao lado de uma poltrona com estampas grandes, por exemplo - e ainda assim, surpreendentemente, conseguir uma aparência neutra.



No banheiro da suíte master Meg Braff continuou usando o mesmo verde, mas de maneira mais sutil: pequenas estampas na parede e detalhes como os bordados das toalhas. O grande destaque ainda está no box revestido por pastilhas de mármore.


Meg Braff diz que o tecido usado neste quarto de hóspedes é bem excêntrico, mas que a combinação do bege e azul garante um resultado relaxante.


Os outros dois dormitórios da residência, ao contrário deste, apresentam paredes de cor sólida. A decoração é bem distinta, mas a paleta de cores é similar, de modo que exista uma boa coerência entre os ambientes.



Para Meg Braff, a decoração desta casa tem longevidade. Ela já tem os pontos essenciais definidos, mas sobra muito espaço para renovações: novas peças de arte, tapetes, mais cor. Se o encanto começar a perder a força, existem muitas maneiras de adicionar mais vigor aos espaços: e quem não quer ter esse tipo de flexibilidade?




Fonte: Meg Braff

2 comentários:

  1. Debora, parabens!!! Seu site eh otimo, lindo! To precisando de sua ajuda. Ate te respondi no site casa.com. Mas veja a sala: http://casa.abril.com.br/decorar/mo
    stresuacasa/exibir.php?id=9015 Me ajuda? Nao posso misturar listas em todo lado, to pensando na ideia do espelho no fim do corredor. Oq que vc acha? Beijos! Cissa.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails